Pêlos de camêlo, cinto de couro, gafanhotos e mel silvestre.

Em Mateus 3 : 4  diz: ” E este João tinha a sua veste de pêlos de camelo e um cinto de couro em torno de seus lombos e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre.

 

 João era um sacerdote, porém um sacerdote que não concordava com a religiosidade dos sacerdotes de então. João certamente podia se valer de boas roupas e de boa comida, pois pela lei mosaica ele deveria se vestir com vestes sacerdotais( Êx 28:4 ), e se alimentar de flor de farinha (Lev 2 :1-3). No entanto, usava destes recursos para expor a hipocrisia dos corações e a pobreza dos homens daquela época.

A roupa feita da pele de camelo ( animal considerado imundo pela lei, Lev 11:4) causava um escândalo na mente religiosa daqueles dias, assim como alimentar-se de gafanhotos era algo chocante.

Mas revelar aos religiosos da época como eles realmente eram ou estavam, era o objetivo de João.

Pelos de Camêlo – Mostrava o quão hostis eram os homens que se diziam servos de Deus, o camêlo é reconhecido pelo seu temperamento hostil, além de ter a característica de não precisar beber água de contínuo.  Ao camêlo  basta beber água uma vez pelo período de 40 a 50 dias. A palavra diz que que Jesus é a água da vida, e não ir ao Senhor continuamente nos gera sede. Quando os homens olhavam para João enxergavam em suas vestes o que eles mesmos eram. João bem como o Evangelho de Cristo têm por objetivo revelar como somos diante de Deus.

Cinto de couro– Usado em torno dos lombos, fazia aos homens lembrar  a opressão que o jugo causava nos bois que serviam como animais de carga. Não havia como não  se constrager olhando João daquela forma paramentado. Eles se enxergavam rebeldes em função das vestes de camêlo, e se enxergavam também subjugados pelo pecado através do cinto de couro que João usava em torno dos seus lombos.

Gafanhotos e mel silvestre –  O gafanhoto era tido como inseto simbolo da destruição( Jl 1 : 4),  alimentar-se de gafanhotos era mostrar que o devorador é devorado pelo Senhor, isto salienta o poder do Senhor ( Lm 2:2). O mel silvestre como alimento é o símbolo de Cristo como alimento, veja Êxodo 16: 31 onde o maná é descrito como tendo o sabor de mel.